Como a casa Vitoriana se tornou um ícone de terror?

Atualizado: Ago 25

Basta assistir um clássico filme ou série de terror, ou pesquisar ‘casas assombradas’ no Google, que você provavelmente vai se deparar com uma mansão Vitoriana. Mas, como aponta Sarah Burns, nos anos 1870, as casas vitorianas eram simplesmente... casas.

“Contudo, meio século depois, aquele mesmo estilo tornou-se um símbolo de terror, morte e decadência”.

Fonte: http://olddesignshop.com/2014/09/elegant-victorian-villa-free-spooky-house-clip-art/

Mas, em que momento, e por que, essas casas passaram a ser associadas com cenas aterrorizantes?

Burns traça a origem da casa mal-assombrada para reconstruir o contexto no qual as mansões Vitorianas passaram de casa para um símbolo de terror. No começo do século 20, tudo do estilo “Vitoriano” já tinha saído de moda e artistas como Edward Hopper e Charles Ephraim Burchfield começaram a pintar casas vitorianas, retratando-as com um caráter mais assustador.


Fonte: https://www.moma.org/collection/works/78330

Os comentários sobre as obras de Hopper e Burchfield eram consistentes e condenavam amplamente todas as coisas da época vitoriana como feias, excessivas e não americanas. Os telhados de mansardas que faziam seus proprietários orgulhosos eram agora ridicularizados.


Os escritores de arquitetura, ansiosos por aderir um novo modernismo, introduziram o suposto excesso brega do passado e promoveram boas alternativas, como os projetos "puros" de Frank Lloyd Wright.


Para Mumford, essa feiura era uma manifestação visível das consequências da Guerra Civil, pois não só a nação funcionava de modo diferente, ela parecia diferente, mais sombria, mais triste e mais sóbria. Soldados que retornavam começaram a retratar as casas Vitorianas como remanentes fantasmagóricos de um passado corrupto.


"Com pouca demolição, apenas medidas extremas poderiam exorcizar os fantasmas, limpar o presente do passado doente e varrer seus excrementos imundos da terra”

Suas características foram omitidas na vida real, mas no campo imaginário, começaram a assumir a forma de uma nova arquitetura do medo.


De repente, as casas Vitorianas assumiram essa conotação desconfortável de medo e terror. Artistas retratavam essas mansões como fachadas aparentemente vazias que transpassavam sentimentos de decadência e perigo. Nos anos 1920, estruturas Vitorianas tornaram-se uma espécie de ícone do medo, à medida que os artistas começaram a incorporá-las na literatura e no teatro. Os mistérios de assassinato foram ambientados em casas vitorianas vazias - e, à medida que mais e mais foram demolidas na vida real, para dar lugar à modernidade, elas foram criando raízes ainda mais fortes na nossa imaginação.


Veja também: O que o Cinema tem a ver com a Arquitetura


Durante a década de 1930, fotografias como as da Walker Evans’s Victorian Series, um projeto fotográfico documentário que capturou casas abandonadas da era vitoriana na América, solidificaram a visão popular das casas como assustadoras e perigosas.


Fonte: https://steemkr.com/photography/@omnimous/bates-motel-house-2018-04-02-20-00-02
Fonte: https://cinearchitecture.tumblr.com/post/140818801357/elevation-of-the-addams-house-in-addams-family

E se sonhamos, ou trememos na presença de tais lugares, sua capacidade de despertar nossos medos ainda não desapareceu.


Como base para este artigo, foi utilizado como referência bibliográfica o trabalho da historiadora Sarah Burns, publicado pela The University of Chicago Press Journal em nome do Smithsonian American Art Museum. Disponível para leitura nesse link.


Mídia complementar:


YouTube:

Why the Victorian mansion is a horror icon por Vox


Filmes e séries:

The Haunting of Hill House (2018)

Chilling Adventures Of Sabrina (2018)

American Poltergeist (2015)

Bates Motel (2013)

O Retrato de Dorian Gray (2009)

A Casa Monstro (2006)

Do Inferno (2001)

A Família Addams (1964)

Psicose (1961)


#arquitetura #vitoriana #terror #cinema #arte

Blog